Uncategorized


No passado dia 4 de Setembro, dia Mundial do Animal, cerca de 30 pessoas participaram no debate “Vegetarianismo e a ‘Revolução das Colheres'” organizado pela Acção Animal de Lisboa e pela Crew Hassan, inserindo-se nas acções da Semana Vegetariana.

Aqui foi apresentado e discutido o movimento maioritariamente sul-americano (‘La Revolucion de las Cucharas‘) que de forma entusiasmada, criativa, bem humorada e pacífica, divulga e promove o vegetarianismo dentro de cada comunidade. Para isso usam argumentos não exclusivamente virados para a ética dos direitos dos animais, mas também sociais e ambientais, sendo frequente a referência às ligações entre o capitalismo/imperialismo das grandes potências económicas e a sobreexploração de humanos e animais. É um movimento que, por actuar localmente, constrói as raízes para uma verdadeira mudança de hábitos que beneficia quem muda, os animais e o Planeta.

No debate houve ainda tempo para discutir as dificuldades e vantagens de um regime vegetariano, da invisibilidade criada pelos meios de comunicação a estes temas, e da possibilidade de criar um movimento semelhante em Portugal.

No dia Mundial do Animal, dia 4 de Outubro, a Acção Animal vai realizar um jantar vegetariano (vegano), seguido de um debate sobre vegetarianismo e o movimento sul-americano pró-vegetarianismo “revolução das collheres”. O local será na cooperativa cultural “Crew Hassan”, na Rua das Portas de Santo Antão, n.º 159, 1º andar (metro: Restauradores; www.crewhassan.org).

O jantar está marcado para as 20h e terá um custo de 7 euros e terá de ser obrigatoriamente reservado até dia 26 de Setembro (geral@accaoanimal.com).

O debate (21h) e concerto (22h30) têm entrada livre.

Este evento está integrado nas actividades da Semana Vegetariana. Para ver outros eventos e iniciativas integradas nesta semana, incluindo algumas organizadas pelo núcleo do Porto da Acção Animal, visite  a página www.semanavegetariana.com

A Acção Animal recebeu da parte do secretariado concelhio da JS/Porto e do grupo municipal do Porto do Bloco de Esquerda dois importantes comunicados em que mostram o seu repúdio pelo 1º Rodeio do Porto. Pode lê-los aqui e aqui.

Nestes documentos é referida a grosseira falta de respeito pelo bem-estar dos animais neste tipo de eventos, a falta de investimento em cultura no município que contrasta com o apoio financeiro para a realização deste espectáculo ilegal e ainda a sua total solidariedade com o movimento de cidadãos e associações de protecção animal que se têm manifestado contra este evento.

Importante referir também que neste rodeio, apesar dos organizadores repetidamente insistirem desde o primeiro dia que não há sofrimento animal, estava planeado o uso de esporas pelos “cowboys” e de cordas e cintas nos animais que foram atempadamente proibidos pelo médico-veterinário municipal justamente por este ter concluído que estes objectos eram um evidente risco ao bem-estar dos animais.

Para provocar os bois a darem os tão ambicionados coices, a organização tem optado por lhes puxar a cauda e outras agressões que, sendo menos eficazes que as esporas e o “sedém”, têm levado, segundo o locutor, vaqueiros e assistência a admitir que assim “não pinoteiam o suficiente”, revelando uma nítida relação directa entre o sofrimento provocado ao animal e o entretenimento obtido pela assistência.

Para além disso, foram já captadas imagens vídeo do primeiro dia do rodeio em que é possível ver funcionários da organização a pontapear os animais.

Este Sábado, às 18h30, não falte à manifestação contra o 1º Rodeio do Porto, em frente ao recinto do Queimódromo, Parque da Cidade (Circunvalação).